Oportunidades para Oncologistas

Eduardo Ramos

Eduardo Ramos

Dia Mundial de Combate ao Câncer

Notícias Segunda, 03 Fevereiro 2020 21:25

Amanhã é o Dia Mundial de Combate ao Câncer e a SBOC criou uma capa para todos aqueles que acreditam nessa causa. A SBOC compreende que uma doença tão ampla, diversa e multifacetada deve ser encarada de frente. As estatísticas crescem, mas crescem também as possibilidades de cura. O câncer deixou de ser um mistério e o diagnóstico deixou de ser uma sentença. Nesse ano, a SBOC inicia sua campanha um dia antes, para que possamos gerar uma reflexão sobre tudo o que podemos fazer para combater essa doença. Mostre que você também apoia essa luta: para colocar o filtro “Eu apoio essa luta” na foto de perfil, clique aqui, para fazer um stories com o filtro “Eu apoio essa luta”, clique aqui.

Prevenção será um dos focos da SBOC em 2020. “Além de nossa atual cartilha de prevenção, nesse ano, a SBOC irá elaborar infográficos para divulgar medidas práticas que podem ser tomadas por todos os brasileiros para prevenir o câncer, como benefícios da vacinação e de uma alimentação equilibrada.” ressalta Dra Clarissa Mathias, presidente da entidade.

Além das campanhas de prevenção, políticas que visem agilizar o diagnóstico e o tratamento são essenciais para o sucesso terapêutico e qualidade de vida dos pacientes. “Precisamos modernizar de forma urgente as políticas para incorporação em Saúde. Ambos os sistemas, público e privado incorporam tecnologias de forma deficiente e dificultam a solicitação por sociedades médicas ou pelos cidadãos brasileiros. Ao invés do sistema privado se aprimorar, ele tem copiado cada vez mais o molde do sistema público. O resultado é simples: ficaremos no passado e com uma judicialização impagável.” relembra o Dr Renan Clara, Diretor Executivo da SBOC.

A SBOC está focada em ampliar o conhecimento de médicos, profissionais de saúde e da população sobre a complexidade dos processos de incorporação. “O médico sofre muito em não poder tratar seus pacientes com o que há de melhor. Nesse sentido, iremos elaborar uma grade educacional pela Escola Brasileira de Oncologia focada em ampliar o conhecimento sobre os mecanismos da Saúde no Brasil. O médico precisa conhecer as causas dessa dicotomia, entre o que ele estuda e realmente realiza” pontua Dra Clarissa.

Entendemos que o Combate ao Câncer é uma luta que se trava em muitas frentes e com a participação de todos. Use a hashtag #EuApoioEssaLuta e marque um companheiro(a) com o qual você pode contar nessa batalha. Faça parte dessa luta, espalhe essa causa.

Desde sua fundação, em 1981, a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) tem o compromisso de transmitir informação de qualidade para a população sobre todas as áreas de atuação oncológica. Nos últimos anos, com o crescimento das subespecialidades, a SBOC sentiu a necessidade de reunir alguns dos principais especialistas de cada área em comitês para ampliar ainda mais a disseminação de conhecimento qualificado e participar ativamente do aprimoramento acadêmico e profissional dos oncologistas clínicos.

Segundo a presidente da SBOC, Dra. Clarissa Mathias, a ideia é democratizar a gestão ao trazer profissionais de excelência em cada subespecialidade para dentro da Sociedade. “Os membros dos comitês, formados por 70 médicos, criarão projetos e ações pensando principalmente na área educacional da Sociedade, através da Escola Brasileira de Oncologia, mas também serão porta-vozes da entidade e participarão da avaliação de documentos importantes, como dos dossiês que visam ampliar o tratamento do câncer no Brasil”.

Os comitês têm o objetivo de melhorar o desenvolvimento educacional dos oncologistas clínicos e pensar em soluções para problemas de saúde pública em benefício da sociedade civil. Esse é mais um canal da SBOC para se aproximar dos seus membros e da população brasileira. “Outro aspecto muito importante é ser capaz de esclarecer dúvidas de qualquer natureza sobre a oncologia, contando com o apoio de profissionais brasileiros de excelência”, finaliza Dra. Clarissa.

Os comitês são: Defesa Profissional; Tumores Torácicos; Tumores Gastrointestinais; Tumores Mamários; Tumores Geniturinários; Tumores Ginecológicos; Tumores de Pele e Sarcomas; Tumores de Cabeça e Pescoço; Tumores do Sistema Nervoso Central; Oncogenética; Pesquisa Clínica; Cuidados Paliativos e Suporte; Qualidade; Suporte Acadêmico; Relações Internacionais; Políticas Públicas; Oncogenômica.

 

Clique aqui para conferir a lista completa

A Brazilian Journal of Oncology (BJO) é um periódico trimestral sobre oncologia e áreas correlatas, publicado em conjunto pelas Sociedades Brasileiras de Oncologia Clínica (SBOC), de Cirurgia Oncológica (SBCO) e de Radioterapia (SBRT).

Lançada em 2017, como publicação open access, ou seja, sem custo para submissão nem para o acesso dos leitores, a BJO tem como objetivo divulgar o conhecimento no país; valorizar os resultados da pesquisa nacional; incentivar a participação dos profissionais dessas especialidades em estudos; formar massa crítica em torno dos desafios e das possibilidades da oncologia no Brasil e no mundo; promover reflexões e discussões baseadas em evidências científicas sobre o acesso e a qualidade do atendimento aos pacientes, bem como a respeito das políticas públicas de prevenção e tratamento do câncer em nosso país.

As entidades responsáveis e o corpo editorial trabalham no intuito de que a revista seja um novo e importante fórum para o intercâmbio de informações entre profissionais envolvidos na pesquisa do câncer e na assistência ao paciente oncológico. Dessa forma, o aspecto multidisciplinar é preponderante.

E esse importante periódico iniciou o ano com algumas novidades. Uma delas é que a BJO passa a contar com um novo Editor Executivo, Dr. Jorge Sabbaga. O oncologista, membro da SBOC, é graduado pela Unicamp, com mestrado e doutorado pela USP e Pós-Doutorado pela Tufts-New England Medical Center (TNEMC), Estados Unidos. Sempre teve papel importante na formação de oncologistas, mestres e doutores e na geração de pesquisas nacionais. Publicou cerca de 100 artigos completos em periódicos nacionais e internacionais. Atua no ICESP e no Hospital Sírio Libanês. Para Dr. Sabbaga, é crescente o número de produções científicas brasileiras em forma de trabalhos publicados ou apresentados em congressos internacionais, mas há uma carência de boas revistas nacionais. “A ciência brasileira está crescendo em qualidade e em quantidade. E o principal objetivo da BJO é justamente ser um veículo capaz de divulgar os avanços científicos nacionais, com qualidade e credibilidade internacionais”, afirma o especialista.

 

Resumos dos trabalhos científicos da Semana da Oncologia

A outra novidade é que já estão disponíveis, como suplementos da BJO, os resumos dos trabalhos científicos da II Semana Brasileira da Oncologia, o maior congresso em Oncologia do Hemisfério Sul, que aconteceu em outubro de 2019.

As publicações podem ser acessadas livremente pelo site www.brazilianjournalofoncology.com.br. Para facilitar a localização, estão classificadas como anais da II Semana Brasileira da Oncologia, divididos pelas três sociedades médicas: SBOC, SBCO e SBRT.

No caso da Oncologia Clínica, dos 786 trabalhos submetidos, 151 foram selecionados como pôsteres. “São trabalhos feitos por brasileiros, muitos deles inovadores e com nível para estarem nos mais renomados congressos internacionais”, avalia Dr. Sabbaga.

 

Um círculo virtuoso

A BJO vem sendo aprimorada como uma revista de padrão internacional, com acesso prático para os leitores e atendendo os requisitos estabelecidos pelos indexadores científicos. Em 2018 passou a contar com uma nova plataforma de submissão, toda em inglês, e teve o processo de avaliação dos artigos simplificado. Investimentos em quesitos técnicos que facilitam a participação dos autores, revisores e do corpo editorial e contribuem para a obtenção da indexação da revista a bases de dados internacionais. “Desde o lançamento da Brazilian Journal of Oncology, há quase três anos, trabalhamos para construir uma revista à altura da oncologia brasileira, de forma que seja também um veículo agregador e impulsionador da nossa pesquisa”, diz Dra. Clarissa Mathias, Presidente da SBOC.

De acordo com Dr. Sabbaga, a BJO representa uma oportunidade única para que os autores brasileiros tenham seus artigos aceitos em uma publicação open access de grande potencial. “A BJO é acessada por praticamente todos os oncologistas do Brasil, então o trabalho é amplamente divulgado nacionalmente”. O Editor Executivo do periódico explica ainda que a ideia é criar uma espécie de círculo virtuoso. “À medida em que a gente aumenta a rigidez e qualidade editorial, aumenta a seriedade da BJO, cada publicação aceita vai ganhando mais credibilidade, assim como a revista, e os artigos vão sendo progressivamente mais citados na literatura internacional. E o resultado final é um periódico fortalecido, reconhecido internacionalmente”.

Em carta aberta, a SBOC se posiciona em relação à Consulta Pública Nº 85, que trouxe uma recomendação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) contrária à incorporação de novos medicamentos para o tratamento de melanoma metastático, e ratifica a necessidade da incorporação dessas novas tecnologias consideradas revolucionárias para os pacientes com a doença.

Acesse

A nova presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), Dra. Clarissa Mathias, tomou posse em 26 de outubro, durante o XXI Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica.

No vídeo ela comenta a ascensão da SBOC, principalmente nos últimos quatro anos, e fala sobre a responsabilidade de continuar essa evolução com novos projetos, entre outros planos previstos para a sua gestão.

 

O presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), Dr. Sergio Simon, dá as boas-vindas aos participantes do XXI Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica.

Neste vídeo, ele ressalta que o aspecto multidisciplinar do evento, que cobre todas as áreas da oncologia, desde o diagnóstico até o tratamento e cuidados paliativos.

O encontro começou ontem (23) no Rio de Janeiro e vai até sábado (26).

Os pacientes com câncer em fase avançada necessitam de cuidados integrais não apenas para aumento de sobrevida, mas sobretudo para uma melhora significativa na qualidade de vida. A integração, de forma precoce, entre tratamento oncológico e cuidados paliativos é fundamental para que se possa atingir com êxito o seguimento desses pacientes.

Acesse

Em todas as suas ações, a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) tem apresentado políticas de transparência que visam divulgar amplamente a idoneidade da mesma perante a todos os stakeholders da saúde. Devido à essa crescente preocupação, o Presidente da SBOC, Dr Sergio D Simon, sugeriu à AMB uma ampla discussão sobre governança ética entre as Sociedades de Especialidade.

Diante da relevância do tema, a AMB realizou hoje o I Workshop “O papel das Sociedades médicas para a efetivação da cultura de Compliance” do qual a SBOC orgulhosamente participou da organização e da mesa de discussão. Sociedades médicas, produtores e fornecedores de produtos para a saúde, operadoras de plano de saúde, organizações de defesa dos pacientes e entidades promotoras da cultura de compliance discutiram sobre a promoção de boas práticas de governança corporativa na saúde.

Além de oferecer as diversas perspectivas, o evento provocou uma grande discussão da experiência das sociedades com possíveis conflitos de interesse ético e como proteger a visão e a missão do médico.

“Os desafios impostos às sociedades médicas são cada dia mais claros. Um documento oficial que possa garantir a transparência e a ética das sociedades e de seus membros protege não só a idoneidade das entidades, mas também toda a sociedade civil. Percebemos que a SBOC tem sido pioneira nessa discussão e em breve iremos divulgar amplamente o Código de Ética e Conduta da SBOC, de nossos executivos e membros.” diz o Dr Sergio Simon, em sua apresentação. Após detalhada discussão, a AMB e as Sociedades conjuntamente irão gerar um código de ética e conduta comum, e que seja amplamente divulgado entre seus respectivos membros. Os códigos de ética das sociedades serão utilizados para unificar um documento oficial das filiadas da AMB. A SBOC está trabalhando fortemente e muito em breve irá compartilhar seu Código de Ética e Conduta a todos os seus associados.

O Núcleo Vida Centro de Terapia Oncológica, na cidade de Paulo Afonso, Bahia, seleciona Médico Oncologista para atuar no atendimento a pacientes, examinar, realizar tratamentos, encaminhar para exames, esclarecer dúvidas, prescrever medicamentos e demais rotinas da função.

Salário com Potencial de ganho superior ao mercado, ajuda de custo e garantia mínima de rendimentos, tempo integral.

Candidatos interessados devem enviar CV para: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone para contato: (75) 3281-2837 ou (75) 9-8877-6060

A FAHECE – Fundação de Apoio ao HEMOSC/CEPON está conduzindo processo seletivo para a contratação de Médico II - Oncologista Clínico, para atuação na cidade de Florianópolis.

Requisitos necessários: Diploma de ensino superior em Medicina reconhecido pelo MEC, com registro no CRM/SC. Certificado de Residência ou Título de Especialista em Oncologia Clínica reconhecida pelo MEC.

Inscrições até o dia 25/08/2019 pelo site www.fahece.org.br - Trabalhe Conosco – Edital 068/2019.

Página 2 de 3