Imprimir esta página

Conheça os vencedores do 2º bloco da V Gincana da Oncologia para Residentes Destaque

Notícias Quarta, 26 Agosto 2020 14:40
Avalie este item
(1 Voto)

Mais residentes se juntam ao pódio dos vencedores da V Gincana Nacional da Oncologia para Residentes, após conquistarem as maiores pontuações ao longo do 2° bloco da competição virtual promovida pela Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC).

O 1º colocado, Gustavo de Oliveira Bretas, ganhou o pacote completo para participar do Congresso SBOC 2021, que inclui passagens para São Paulo (SP), hospedagem e inscrição. Na 2ª posição, Camila Reis Teixeira Avelar terá sua inscrição no evento e as passagens para a capital paulista garantidas. Já Rayssa Helena de Sena, 3ª colocada, também será inscrita sem custos no SBOC 2021.

Saiba mais sobre os vencedores:

 

Gustavo de Oliveira Bretas

 

O interesse do mineiro de Belo Horizonte Gustavo de Oliveira Bretas, de 29 anos de idade, pela oncologia vem de muito antes da graduação em Medicina, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Segundo conta, tudo começou aos 8 anos, quando uma de suas irmãs foi diagnosticada com leucemia. O diagnóstico mudou a rotina de toda a família, e o futuro oncologista preferia passar as horas sentado junto às cadeiras de infusão e ler tudo o que estava ao seu alcance sobre o tratamento da irmã, em revistas e enciclopédias.

Além do interesse na condição da irmã, ele lembra com carinho do médico que cuidou dela. “Desde então, sempre que eu falava em ser médico e já considerava a oncologista. Nunca passou pela minha cabeça fazer outro curso e seguir outra especialidade, todas as escolhas durante a faculdade foram direcionadas a Oncologia”, conta o residente em oncologia clínica no Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Rio de Janeiro (RJ).

A inquietação pelo conhecimento oncológico é tanto que Bretas participa da Gincana pela segunda vez. “Participei enquanto estava no R2 e, à época, serviu para sedimentar alguns conhecimentos e revisar outros, mas ainda me faltava conteúdo. No R3, este ano, a responsabilidade foi um pouco maior.”

Para ele, “a Gincana é uma excelente oportunidade de montar um cronograma de estudos durante o ano – a cada caso clínico, eu organizava minha semana para estudar a fundo aquele tema e conseguir aprender com a competição”.

  

Camila Reis Teixeira Avelar

O pai de Camila Reis Teixeira Avelar também a inspirou a abraçar a medicina como missão – não por ser médico, mas por sofrer de um mal nunca diagnosticado, curado após longos anos de enfermidade por um transplante de pulmão. “Acompanhar aquela luta diária me inspirou a escolher a medicina e, mais tarde, já na Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ), a luta de muitos outros pacientes contra o câncer me encantou e me fez desejar estar junto nessa batalha”, lembra.

Mineira de Varginha, ela hoje faz residência no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo (USP). “Durante a formação de um médico oncologista, precisamos lidar constantemente com o enfrentamento de más notícias, como a morte e sofrimento diário, associado a uma rotina pesada, com carga horária extensa devido à residência médica”, comenta. “No entanto, atividades como a Gincana nos permitem consolidar o conhecimento adquirido e consequentemente ver que todo esforço e dedicação valem a pena – e que estamos no caminho certo em busca do conhecimento”, acrescenta.

 

Rayssa Helena de Sena

A curitibana Rayssa Helena de Sena, de 27 anos, também traz dos seus primeiros anos de vida o desejo de ser médica. Filha de médicos, ela gostava de acompanhá-los em sua rotina de trabalho, o que tornou tudo mais familiar desde cedo até sua graduação em medicina, na Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Antes da residência em oncologia, que realiza no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP), na capital paulista, Rayssa foi residente de Clínica Médica no Hospital Sírio-Libanês, na mesma cidade. “Interessei-me em especial pela Oncologia porque considerei uma especialidade que aliava o estudo de vários órgãos e sistemas, aliado à biologia celular, além de que me sinto muito útil para o paciente, que necessita muito do cuidado médico”, conta.

A participação na Gincana, conta, foi incentivada pelo que julga ser, ao mesmo tempo, uma das grandes dificuldades e oportunidades da oncologia: “a necessidade de estudo e atualização constante”. Para ela, “a Gincana ajuda nisso porque nos incentiva a ler, pensar e discutir sobre temas variados periodicamente”.

 

Confira a lista do 4º ao 10º colocado neste bloco da V Gincana Nacional da Oncologia para Residentes, promovida pela SBOC:

4º - Breno Jeha Araújo (ICESP)
5º - Túlio De Oliveira César (ICESP)
6º - Haniel Alves Araújo (ICESP)
7º - Luiza Lara Gadotti (Hospital Sírio-Libanês)
8º - Francesco Sansone Bermejo (ICESP)
9º - Ricardo Dahmer Tiecher (ICESP)
10º - Camilla Albina Zanco Fogassa (Hospital A. C. Camargo - Fundação Antonio Prudente)

Última modificação em Quarta, 26 Agosto 2020 14:56