Notícias

Nove dias em Chicago: como os residentes aproveitaram os programas da SBOC

Notícias Quarta, 02 Agosto 2017 20:49
Avalie este item
(4 votos)
Renan Clara (SBOC), Carolina Ribeiro Victor, Virginia Moreira Braga, Vinícius Lorandi, Cinthya Sternberg (SBOC), Daniel Vilarim Araújo, Renata Bonadio e Guilherme Nader Marta Renan Clara (SBOC), Carolina Ribeiro Victor, Virginia Moreira Braga, Vinícius Lorandi, Cinthya Sternberg (SBOC), Daniel Vilarim Araújo, Renata Bonadio e Guilherme Nader Marta

Seis residentes brasileiros foram premiados pela Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) com a oportunidade de vivenciar, pela primeira vez, o Congresso da American Society of Clinical Oncology (ASCO), nos Estados Unidos, em junho, e de participar de programas específicos em Oncogenética e Pesquisa Clínica, três deles em cada área. Ao todo, foram nove dias de atividades intensas em Chicago.

Durante esse período, além do conteúdo do congresso e estágios na Chicago University (Programa de Oncogenética) e na Northwestern University (Programa de Pesquisa Clínica), os médicos contaram com atividades teóricas personalizadas e preparadas pela SBOC, que contemplaram temas relacionados à construção da carreira do oncologista e aos conflitos de interesse na prática clínica. Outro ponto alto foi o contato com os médicos vencedores do International Development and Education Award (IDEA), um programa da ASCO que permitiu a interação com profissionais de diferentes regiões do mundo. “Tivemos uma visão geral de como é fazer Oncologia e Cuidados Paliativos em outros países carentes”, conta Carolina Ribeiro Victor (SP), residente do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp).

Oncogenética em foco

No Center for Clinical Cancer Genetics da Universidade de Chicago, os selecionados pela SBOC puderam explorar diferentes contextos, desde a pesquisa básica até reuniões clínicas. O médico responsável por guiar os residentes nesse programa foi o Dr. Rodrigo Guindalini (SP). Visiting scholar da instituição em 2012 e 2013, o especialista é hoje fundador e coordenador do Centro de Genética e Prevenção do Câncer do Grupo CAM, na Bahia. Segundo o oncologista, o Centro de Oncogenética da Universidade de Chicago foi escolhido pela SBOC por ser um dos principais do mundo e abranger todos os tipos de câncer.

Para Guilherme Nader Marta, residente também do Icesp, o programa foi uma oportunidade de vivenciar “como acontece a inovação científica em um centro de vanguarda, especialmente numa área em que a pesquisa translacional é tão importante”. Conforme explica o Dr. Guindalini, a prioridade era o contato com todas as atividades ligadas ao aconselhamento genético de alta qualidade, não só a parte clínica, mas também laboratorial.

Virginia Moreira Braga (CE), residente da Beneficência Portuguesa de São Paulo, aponta como inesquecível a aula e o bate-papo com a fundadora do Center for Clinical Cancer Genetics, a nigeriana Funmi Olopade, recentemente homenageada pela ASCO com o Humanitarian Award.

Imersão em Pesquisa Clínica

Os brasileiros Benedito Carneiro (CE), co-diretor do Developmental Therapeutics Program da Northwestern University Feinberg School of Medicine, e Marcelo Cruz (SP), fellow em oncologia da instituição há quase um ano, receberam três residentes para um estágio nesse centro, que é referência no tratamento e no desenvolvimento de estudos clínicos em oncologia. “Os jovens médicos foram expostos não apenas a um ambiente acadêmico de excelência em pesquisa clínica, mas principalmente à integração de um serviço avançado de desenvolvimento de drogas em oncologia com a prática clínica”, relata Carneiro.

Carolina classifica a experiência como uma “quebra de paradigma” e se diz muito feliz com tudo o que viu e aprendeu. “Foi fantástico estar com a equipe e os pacientes e ver como são os estudos fase 1 e 2, muito raros em nosso país”, descreve. Já Vinícius Lorandi (RS), residente do Hospital Mãe de Deus, destaca o caráter inovador do programa. “A SBOC se mostra engajada com uma nova forma de pensar e contribuir para a formação do oncologista clínico brasileiro”, diz ele. “Cada vez mais é necessário buscar uma formação plural que assegure ao residente mais recursos para lidar com o câncer sob uma ótica multidisciplinar e com planos terapêuticos de ponta”, enfatiza.

O Dr. Rodrigo Munhoz, vice-presidente para Ensino da Oncologia eleito para a gestão da SBOC 2017/2019, também esteve com o grupo durante os nove dias em Chicago. Ao mencionar que a Sociedade pretende manter iniciativas semelhantes nos próximos anos, ele adianta que as parcerias com instituições internacionais, como a ASCO e a European Society for Medical Oncology (ESMO), podem viabilizar novas iniciativas com ênfase educacional sobretudo para residentes e jovens oncologistas.

programas residentes 2

Renata Bonadio, técnico da equipe da Chicago University, Virginia Moreira Braga, Renan Clara (SBOC), Funmi Olopade, Rodrigo Guindalini e Guilherme Nader Marta

programas residentes 3

Bruno Pereira, Carolina Ribeiro Victor, Benedito Carneiro e Vinícius Lorandi

 

Última modificação em Quinta, 03 Agosto 2017 20:51

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Pesquisar